Interreg IV B

  • Inovação
  • Ambiente
  • Acessibilidade
  • Desenvolvimento Urbano Sustentável
  • projetos  Biotecnologia

    FEDER: 4.9 milhões €
  • projetos  Clima

    FEDER: 3.5 milhões €
  • projetos  Competitividade

    FEDER: 7.5 milhões €
  • projetos  Colaboração universidades

    FEDER: 6.2 milhões €
  • projetos  Creatividade empresarial

    FEDER: 4.9 milhões €
  • projetos  Energia

    FEDER: 7.6 milhões €
  • projetos  Inclusão

    FEDER: 8.8 milhões €
  • projetos  Inovação

    FEDER: 10.1 milhões €
  • projetos  Mobilidade

    FEDER: 5.1 milhões €
  • projetos  Sustentabilidade

    FEDER: 22.6 milhões €
  • projetos  Transferência tecnológica

    FEDER: 4.1 milhões €
  • projetos  Turismo e património

    FEDER: 4 milhões €
Veja a lista de projetos

FAQ

34 FAQS
Página 1 2 3 4 5 6 7 »
  • Quais são os órgãos de gestão do programa?

    • O Comité de Acompanhamento assegura a eficácia e a qualidade da execução do PO SUDOE.
    • O Comité de Programação é responsável pela selecção, aprovação e modificações dos projectos.
    • A Autoridade de Gestão (AUG) é a autoridade responsável pela gestão e execução do Programa e assegura a implementação das decisões tomadas pelos Comités citados anteriormente.
    • O Secretariado Técnico Conjunto (STC) entre as funções atribuídas, promove e divulga o Programa, assegura o processo de abertura da convocatória, a recepção, verificação e instrução técnica dos projectos em colaboração com os CN e prepara os documentos que suportam a tomada de decisão do Comité de Programação. Acompanha a execução dos projectos, verifica os pedidos de pagamento enviados pelo beneficiário principal, validados pelos Estados membros e centraliza a informação sobre a execução física e financeira do Programa
    • Os Correspondentes Nacionais (CN) têm uma função de animação e de coordenação na implementação do Programa, em colaboração com a AUG e com o STC. Os CN entre outras funções confirmam a consistência das contrapartidas nacionais e a compatibilidade dos projectos com as políticas nacionais e regionais antes de avaliar os projectos. Validam as despesas dos parceiros de acordo com os Regulamentos comunitários e as normativas nacionais.
    • A Autoridade de Certificação é a entidade encarregada de receber os pagamentos efectuados pela Comissão Europeia e de efectuar os pagamentos ao beneficiário principal.
    • A Autoridade de Auditoria é a entidade que assegura que todos os procedimentos de gestão e controlo do Programa se efectuam de forma adequada e eficiente e de acordo com as normas comunitárias e nacionais em vigor.
  • Quais são as áreas elegíveis do PO SUDOE?

    O espaço Sudoeste europeu é constituído pelas seguintes regiões e cidades autónomas de Espanha, França, Portugal e Reino Unido:

    • Espanha: Galicia, Principado de Asturias, Cantabria, País Vasco, Comunidad Foral de Navarra, La Rioja, Aragón, Comunidad de Madrid, Castilla y León, Castilla-La Mancha, Extremadura, Cataluña, Comunidad Valenciana, Illes Balears, Andalucía, Región de Murcia, Ciudad Autónoma de Ceuta, Ciudad Autónoma de Melilla
    • França: Poitou-Charentes, Aquitaine, Midi-Pyrénées, Limousin, Auvergne, Languedoc-Roussillon
    • Portugal: Norte, Algarve, Centro, Lisboa, Alentejo
    • Reino Unido: Gibraltar

     

     

  • Quais são os campos de cooperação no SUDOE?

    Prioridade 1. Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica.

    Prioridade 2. Melhorar a sustentabilidade para a protecção e conservação do ambiente e meio natural do SUDOE.

    Prioridade 3. Integração harmoniosa do espaço do SUDOE e melhoria da acessibilidade às redes de informação.

    Prioridade 4. Impulsionar o desenvolvimento urbano sustentável aproveitando os efeitos positivos da cooperação transnacional.

    Para a segunda convocatória de projectos unicamente estão abertas as Prioridades 1 e 2.

  • Quais são as diferenças entre o programa INTERREG III B SUDOE e o programa de cooperação territorial INTERREG IV B SUDOE?

    As principais alterações são as seguintes:

    • Tipo de projectos aceites: no período 2007-2013 serão financiados projectos de carácter estruturantes.
    • Área elegível: é similar à do programa anterior, com excepção das ilhas atlânticas que, no novo programa não fazem parte da área elegível (Ilhas Canárias na Espanha e as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira em Portugal). Mantêm-se inalteradas as regiões elegíveis da França e do Reino Unido (Gibraltar).
    • Montante FEDER disponível: aumentou cerca de 50% face ao período anterior, sendo agora de, aproximadamente, 99 milhões de euros.
    • A taxa de co-financiamento FEDER: passou a ser igual para todos os beneficiários, até uma percentagem máxima de 75%.
  • Como se podem procurar e/ou reencontrar beneficiários?

    Existem inúmeros recursos postos à disposição dos promotores para a busca de parceiros potenciais.

    A página Web do SUDOE dispõe de uma base de dados intitulada "Bolsa de projectos" na qual aparecem os organismos que estão a preparar um projecto e que buscam parceiros e aqueles organismos que estão interessados em participar em projectos com estas características.

    No decurso dos eventos organizados no âmbito do programa, também são facultados pontos de encontro e de reuniões que permitem o intercâmbio de ideias e informações entre os participantes. Clique aqui bolsa de parceiros

34 FAQS
Página 1 2 3 4 5 6 7 »

Calendário de eventos

Fevereiro 2017
Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28          

Últimas actualizações

projectos SUDOE

12 temas que refletem os projetos aprovados no programa de cooperação territorial SUDOE - INTEREG IV

Busca de projetos
  • Biotecnologia Biotecnologia
  • Clima Clima
  • Competitividade Competitividade
  • Colaboração universidades Colaboração universidades
  • Creatividade empresarial Creatividade empresarial
  • Energia Energia
  • Inclusão Inclusão
  • Inovação Inovação
  • Mobilidade Mobilidade
  • Sustentabilidade Sustentabilidade
  • Transferência tecnológica Transferência tecnológica
  • Turismo e património Turismo e património